O que é Nódulo na Tireóide Vascularizado? Pode ser Câncer?

O que é Nódulo na Tireóide Vascularizado? Pode ser Câncer?

O que é Nódulo na Tireóide Vascularizado? Pode ser Câncer?

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, cerca de 60% da população brasileira terá, em algum momento da vida, nódulos na tireóide. Os mesmos dados indicam que apenas 5% destes são malignos, ou seja, cancerosos. Um nódulo é qualificado por uma pequena massa que cresceu de maneira exacerbada ou mesmo cistos cheios de líquidos.

A preocupação de maior parte dos pacientes que enfrentam a enfermidade é se deparar com um nódulo na tireóide vascularizado. Primeiro é preciso compreender que nódulos podem encontrados por meio de exame físico e visualizado em uma ultrassonografia. Também é o ultrassom que define se há vascularização e qual seu padrão.

Descobrindo o que é o nódulo na tireóide vascularizado

Para saber mais sobre a vascularização de um nódulo é preciso realizar um exame Doppler. O Doppler, uma das modalidades da ultrassonografia, é capaz de buscar a avaliar os fluxos sanguíneos de uma determinada região, ou seja, sua vascularização. O método não é invasivo e é, na verdade, bastante comum, podendo ser utilizado inclusive durante a gravidez.

O método é um dos que mais auxiliam na hora de determinar a classificação de determinado nódulo, já que avalia a estrutura do mesmo em movimento. Eles podem contar com vascularização central, periférica ou mesmo inexistente.

Geralmente, nódulos da tireóide vascularizados de maneira periférica, onde existem poucos vasos do centro, têm chances maiores de serem benignos. Em contrapartida, os vascularizados centrais costumam ser classificados como malignos.

Nódulo na Tireoide Vascularizado pode ser Câncer?

Primeiro é preciso frisar que não é porque você recebeu um diagnóstico de nódulo na tireóide vascularizado que ele se torna automaticamente um câncer. A vascularização central significa que ele tem maiores chances de ser maligno, mas é preciso realizar outros testes para descobrir realmente.

Em caso de suspeita de câncer podem ser realizados alguns exames na tireóide. O primeiro é a cintilografia, em que uma quantidade mínima de iodo radioativo é injetada. Observa-se as imagens com uma câmera especial para identificar a atividade local.

Outro exame que pode auxiliar no diagnóstico é a biópsia, onde uma agulha muito fina retira uma pequena quantidade de tecido do local, para que o mesmo seja analisado em um laboratório.

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *