Notícias

11 de outubro de 2016

Radioiodoterapia para câncer de tireóide – Parte 2

Apesar da eficácia no auxílio do tratamento do câncer de tireóide bem diferenciado, o tratamento com radioiodoterapia não é isento de riscos. Existem relatos de diversos sintomas após o tratamento. Os efeitos colaterais a curto prazo podem incluir: – Sensibilidade no pescoço; – Náuseas e vômitos; – Inchaço e sensibilidade nas glândulas salivares; – Boca seca; – Alterações no paladar. O corpo emitirá radiação por algum tempo assim que iniciar a radioiodoterapia. Dependendo da dose de iodo radioativo administrada, pode ser necessária a internação (isolamento) do paciente, geralmente em um quarto especial para impedir que outras pessoas sejam expostas à radiação. Alguns pacientes podem não necessitar de internação hospitalar. Ao receber alta após o tratamento, o paciente receberá instruções sobre como evitar que outras pessoas sejam expostas à radiação e por quanto tempo essas precauções devem ser tomadas. Essas instruções podem variar um pouco de um hospital para outro. Certifique-se de entende-las antes de ir para casa e se persistirem dúvidas pergunte a sua equipe médica. Mascar chiclete ou chupar balas duras podem ajudar com problemas nas glândulas salivares. O tratamento com iodo radioativo também reduz a formação de lágrimas em alguns pacientes, secando os olhos. Se usar lentes de […]
3 de outubro de 2016

Radioiodoterapia para câncer de tireóide – Parte 1

Após o tratamento cirúrgico dos tumores malignos de tireóide, em alguns casos está indicado a complementação do tratamento, com um procedimento chamado iodoterapia ou radioiodoterapia. Este tratamento é indicado para a ablação de tecido de tireoide remanescente da cirurgia ou para tratar o câncer de tireoide que se disseminou para os gânglios linfáticos ou outros órgãos. Atualmente a iodoterapia tem recebido indicações mais restritas, em menos casos. Mais evidências têm demonstrado que não são todos os pacientes que se beneficiam deste tratamento, e que o mesmo não é isento de riscos ou complicações. A iodoterapia é amplamente indicada para pacientes com câncer de tireoide papilar ou folicular (câncer diferenciado da tireóide) classificados como moderado ou alto risco para recorrência, com base em critérios estabelecidos antes e após a cirurgia (idade, tamanho do tumor, metástases, entre outros). Mas, não é utilizada para tratar carcinomas anaplásicos e medulares da tireoide, porque estes tipos de câncer não captam iodo. Existe um certo preparo para realização da Iodoterapia. Deve-se manter uma dieta pobre em iodo durante cerca de 2 semanas antes do tratamento. Isso significa evitar os alimentos que contêm sal iodado e corante vermelho, assim como produtos lácteos, ovos, marisco e soja. O […]
28 de setembro de 2016

Câncer de Tireóide – Qual o Melhor Tratamento?

Assim que temos o diagnóstico de câncer de tireóide ou carcinoma de tireóide após a punção, deve ser tomada a conduta em relação ao tratamento. O câncer de tireóide deve ser tratado SEMPRE com cirurgia. Radioterapia, quimioterapia ou radioiodoterapia não são indicados como tratamento principal em neoplasias tireoidianas. Durante décadas, o tratamento padrão foi e continua sendo, para a grande maioria dos casos, a tireoidectomia total (remoção total da glândula) seguido de Radioiodoterapia. Entretanto, com o passar dos anos, evidências científicas sugeriram que o tratamento poderia ser “reduzido” sem prejudicar o paciente em relação a possibilidade de cura. Atualmente, principalmente em casos de carcinomas bem diferenciados de tireóide, localizados, pequenos, e em pacientes mais jovens, a lobectomia ou ressecção parcial da tireóide, quando bem indicada, traz os mesmos resultados oncológicos que a tireoidectomia total. As vantagens de uma cirurgia parcial de tireóide seriam as menores taxas de complicação, principalmente relacionadas a rouquidão e hipoparatireoidismo (baixa no cálcio do sangue), além da possibilidade do paciente não precisar realizar reposição de hormônio tireoidiano. Esta modalidade de tratamento inclusive já é padronizada conforme as recomendações da ATA (American Thyroid Association), que normalmente regem as condutas médicas relacionadas a doenças da tireóide. Importante sempre fazer […]
20 de setembro de 2016

Tipos de Câncer de Tireóide

Os tumores malignos, ou cânceres de tireóide, são na sua grande maioria carcinomas papilíferos, que apresentam um comportamento considerado indolente, de crescimento lento e ótimas chances de cura. Porém existem vários outros tipos de câncer da glândula tireóide, algumas vezes de comportamento mais agressivo que o tipo mais comum. Segue uma breve descrição sobre os subtipos de neoplasia de tireóide: -Carcinoma Papilífero 80% dos cânceres de tireoide são carcinomas papilares, também conhecidos como carcinomas papilíferos. Normalmente crescem muito lentamente, se desenvolvem em apenas um lobo da glândula tireoide, mas às vezes pode ocorrer em ambos os lobos. Mesmo que seu desenvolvimento seja lento, muitas vezes os carcinomas papilíferos se disseminam para os gânglios linfáticos do pescoço; -Carcinoma Folicular   O carcinoma folicular ou adenoma folicular é muito menos comum do que o câncer de tireoide papilífero, correspondendo a 10% dos cânceres de tireoide. O carcinoma folicular, ao contrário do papilar geralmente não se dissemina para os gânglios linfáticos, mas alguns podem se disseminar para outros órgãos, como os pulmões ou ossos; -Carcinoma Medular   O carcinoma medular da tireoide representa 4% dos cânceres da tireoide, e se desenvolve a partir das células C da glândula. Às vezes esse tipo de […]
20 de dezembro de 2016

O que é o Hipotireoidismo e quais são os sintomas?

O hipotireoidismo é a deficiência dos hormônios produzidos pela glândula tireóide: a triiodotironina (T3) e a tetraiodotironina (T4). Como outras doenças da tireoide, o hipotireoidismo é mais comum em mulheres, mas pode ocorrer em qualquer indivíduo independente de gênero ou idade. É recomendado que as mulheres, especialmente acima de 40 anos, façam o auto-exame da tireoide regularmente. As causas do hipotireoidismo podem ser o déficit de Iodo; as inflamações ou tireoidites, sendo a de Hashimoto a mais comum; o déficit de Hormônio estimulante da Tireóide (TSH); alterações pós-parto e má formação tireoidiana. Entre os sintomas do hipotireoidismo estão: • Depressão; • Desaceleração dos batimentos cardíacos; • Intestino preso; • Menstruação irregular; • Diminuição da memória; • Cansaço excessivo; • Dores musculares; • Sonolência excessiva; • Pele seca; • Queda de cabelo; • Ganho de peso; • Aumento do colesterol no sangue. Na maioria das vezes, o hipotireoidismo é causado por uma inflamação denominada Tireoidite de Hashimoto, uma disfunção autoimune. O hipotireoidismo também afeta recém-nascidos. Nesses casos, o problema é diagnosticado pelo conhecido “Teste do Pezinho” e o tratamento deve ser iniciado imediatamente. As complicações causadas pelo hipotireoidismo são normalizadas por meio das prescrições do médico. O tratamento é a reposição […]
13 de dezembro de 2016

A glândula Tireóide Engorda?

Normalmente as pessoas acreditam que quem tem doenças de tireóide ganham massa. Isso nem sempre é uma verdade. De maneira geral, portadores de hipotireoidismo tendem a ganhar massa, e portadores de hipertireoidismo tendem a perdê-la devido às alterações das taxas de metabolismo corpóreo que essas doenças causam. Porém, há diversos graus de alterações da produção de hormônios, que nem sempre refletem no peso do indivíduo. Pacientes com hipotireoidismo discreto podem não perder massa, e pacientes com hipertireoidismo podem ter grande aumento do apetite, vindo até a ganhar massa. Além disso, desde que não haja interferência na produção de hormônios, a presença de nódulos não causa alterações de massa. E quando o hipotireoidismo ou o hipertireoidismo estiverem tratados, o peso tende a se estabilizar. Assim, indivíduos submetidos à tireoidectomias (cirurgias de remoção parcial ou total da tireóide), não necessariamente irão ganhar massa, uma vez que terão controle hormonal adequado com o acompanhamento médico. Apesar de a obesidade ser uma doença muito frequente na população, e nem sempre está relacionada a problemas de tireóide, indivíduos que têm grandes ganhos ou grandes perdas de massa devem procurar atendimento médico especializado para investigar eventuais doenças da tireóide.   Clique aqui para agendar a sua consulta […]