Notícias

29 de Março de 2017

O Câncer e o Cigarro

Apesar do número de fumantes ter diminuído e do aumento no número de medidas contra o cigarro que temos presenciado, não somente no Brasil, como em todo o mundo, seguem alguns números e fatos alarmantes sobre os malefícios do cigarro, principalmente quando falamos de fator de risco para câncer. • Na próxima hora, 50 pessoas morrerão por causa do cigarro. • O tabaco é um fator de risco para cerca de 25 doenças, e enquanto seus efeitos na saúde são bem conhecidos, a escala do seu impacto nas doenças de um modo geral, pode não ser totalmente dimensionada . • A Organização Mundial de saúde (OMS) informa que o número de mortos em todo o mundo com o uso de tabaco é 4 milhões anualmente. Isto é muito maior do que o número de mortes causadas por uso de todas as drogas ilícitas e álcool combinados. É como se todo dia mais de três aviões jumbo caísse sem deixar sobreviventes. • O número de mortos deverá subir para 10 milhões por ano até 2020 ou 2030, com 7 milhões de mortes ocorrendo em países em desenvolvimento, como o Brasil. •  A OMS estima que existem cerca de 1,1 bilhões de […]
23 de Fevereiro de 2017

O Câncer de Orofaringe e o HPV

O câncer de orofaringe , tem incidência mundial estimada de 115.131 casos , com mortalidade estimada em 77.598 casos em 2015 . Em certas localizações do mundo, como a Índia e Taiwan, as neoplasias de cabeça e pescoço são as mais frequentes, sendo que nestas regiões, os tumores de orofaringe são a quinta neoplasia mais incidente estimada em 2015. No Brasil, a incidência é estimada em 4.551 casos, sendo sua mortalidade estimada em 3.466 casos neste ano, correspondendo a cerca de 5 a 8% das neoplasias malignas em homens e 2% em mulheres. A orofaringe compreende o palato mole, a base da língua, as tonsilas palatinas e a parede posterior. O local mais acometido pelos tumores é a tonsila, sendo que mais de 90% dos casos são do tipo carcinoma epidermóide. O prognóstico da doença está relacionado ao seu estágio ao diagnóstico, ou seja, quanto mais cedo descobrir e menor for a lesão, maior as chances de cura. Os fatores de risco mais comumente estabelecidos têm sido, assim como nas outras neoplasias da região da cabeça e pescoço, o tabagismo e a ingestão de bebidas alcoólicas. Com a redução importante no número de fumantes no mundo todo nas últimas décadas, […]
7 de Fevereiro de 2017

Complicações da cirurgia da Tireóide – Parte 2

De uma forma geral, a cirurgia de tireóide evolui bem, com raras complicações, mas algumas complicações podem ocorrer. Lembramos que toda cirurgia envolve risco de complicações, e as principais complicações relacionadas a este procedimento são as seguintes: Hipocalcemia Junto à glândula tireóide, existem as glândulas paratireóides, que em geral são em número de 4. Elas são responsáveis pela produção de um hormônio (PTH) que regula o nível de cálcio no sangue. Após uma tireoidectomia, pode haver uma diminuição temporária ou definitiva da função destas glândulas, levando à queda dos níveis de cálcio no sangue (hipocalcemia). Felizmente, é muito raro ocorrer uma deficiência definitiva na função que é chamada de hipoparatireoidismo definitivo e quase sempre está associada com a tireoidectomia total. O paciente pode apresentar sintomas como: formigamentos nas mãos, nos pés, ao redor dos lábios e nas orelhas que podem evoluir para câimbras. O tratamento consiste em receber grandes doses de cálcio e Vitamina D. Raramente estes sintomas ocorrem em tireoidectomias parciais. Cicatriz Todo corte sobre a pele produz uma cicatriz. Contudo, dificilmente as cicatrizes de tireoidectomia produzem marcas com mau resultado estético, pelo contrário, são normalmente discretas. O tamanho da incisão cirúrgica varia de 3 a 15 cm, dependendo […]
1 de Fevereiro de 2017

Complicações da cirurgia da Tireóide – Parte 1

De uma forma geral, a cirurgia de tireóide evolui bem, com raras complicações, mas algumas complicações podem ocorrer. Lembramos que toda cirurgia envolve risco de complicações, e as principais complicações relacionadas a este procedimento são as seguintes: Hematoma É uma complicação que pode por em risco a vida do paciente. Apesar da grande preocupação do médico para que não haja sangramento no pós-operatório, pode ocorrer um acúmulo de sangue no local operado (hematoma), podendo levar à dor e dificuldade de respirar. Esta é uma condição que tem de ser avaliada imediatamente pelo cirurgião, que pode até decidir reoperar, em caráter de urgência. Em alguns casos pode ser utilizado o dreno no pós operatório. Não utilizar o dreno não aumenta o risco de hematoma, estando a critério do cirurgião o seu uso. Alterações da Voz Um em cada 10 pacientes que são operados da glândula tireóide, apresenta alguma alteração temporária na voz, enquanto que 1 em cada 250 paciente, pode evoluir com alterações definitivas. Isto ocorre devido à proximidade da glândula com os nervos responsáveis pelos movimentos das cordas vocais. Estas mudanças na voz podem ser rouquidão, dificuldade em alcançar notas agudas ou cansaço ao falar. Normalmente regridem em algumas semanas, […]
29 de Março de 2017

O Câncer e o Cigarro

Apesar do número de fumantes ter diminuído e do aumento no número de medidas contra o cigarro que temos presenciado, não somente no Brasil, como em todo o mundo, seguem alguns números e fatos alarmantes sobre os malefícios do cigarro, principalmente quando falamos de fator de risco para câncer. • Na próxima hora, 50 pessoas morrerão por causa do cigarro. • O tabaco é um fator de risco para cerca de 25 doenças, e enquanto seus efeitos na saúde são bem conhecidos, a escala do seu impacto nas doenças de um modo geral, pode não ser totalmente dimensionada . • A Organização Mundial de saúde (OMS) informa que o número de mortos em todo o mundo com o uso de tabaco é 4 milhões anualmente. Isto é muito maior do que o número de mortes causadas por uso de todas as drogas ilícitas e álcool combinados. É como se todo dia mais de três aviões jumbo caísse sem deixar sobreviventes. • O número de mortos deverá subir para 10 milhões por ano até 2020 ou 2030, com 7 milhões de mortes ocorrendo em países em desenvolvimento, como o Brasil. •  A OMS estima que existem cerca de 1,1 bilhões de […]
23 de Fevereiro de 2017

O Câncer de Orofaringe e o HPV

O câncer de orofaringe , tem incidência mundial estimada de 115.131 casos , com mortalidade estimada em 77.598 casos em 2015 . Em certas localizações do mundo, como a Índia e Taiwan, as neoplasias de cabeça e pescoço são as mais frequentes, sendo que nestas regiões, os tumores de orofaringe são a quinta neoplasia mais incidente estimada em 2015. No Brasil, a incidência é estimada em 4.551 casos, sendo sua mortalidade estimada em 3.466 casos neste ano, correspondendo a cerca de 5 a 8% das neoplasias malignas em homens e 2% em mulheres. A orofaringe compreende o palato mole, a base da língua, as tonsilas palatinas e a parede posterior. O local mais acometido pelos tumores é a tonsila, sendo que mais de 90% dos casos são do tipo carcinoma epidermóide. O prognóstico da doença está relacionado ao seu estágio ao diagnóstico, ou seja, quanto mais cedo descobrir e menor for a lesão, maior as chances de cura. Os fatores de risco mais comumente estabelecidos têm sido, assim como nas outras neoplasias da região da cabeça e pescoço, o tabagismo e a ingestão de bebidas alcoólicas. Com a redução importante no número de fumantes no mundo todo nas últimas décadas, […]