Descobri um Nódulo de Tireoide Hipoecóico: O que Significa?

Descobri um Nódulo de Tireoide Hipoecóico: O que Significa?

Descobri um Nódulo de Tireóide Hipoecóico: O que Significa?

Se você fez exames e acabou descobrindo que tem um nódulo de tireóide hipoecóico, não se preocupe, não há razão para alarde imediato. O nódulo hipoecóico também é conhecido como hipoecogênico. Isso significa que é possível de ser visualizado por meio de exames de imagem, como uma ultrassonografia. Além disso, também indica que trata-se de uma lesão de baixa intensidade.

Um nódulo nada mais é do que uma lesão proveniente do acúmulo de líquidos ou tecidos. Normalmente apresentam formato arredondado, por isso temos a sensação semelhante a de um caroço quando apalpado.

Descobrindo um nódulo de tireóide hipoecóico

O diagnóstico de um nódulo de tireoide não confirma se o mesmo é benigno ou maligno. No entanto, quando o mesmo é hipoecóico, esta apenas é uma característica associada a maior risco de malignidade. Além disso, só é possível tomar uma conclusão certeira a partir da punção.

Normalmente, nódulos não apresentam sintomas. Quando vêm acompanhados de dor na garganta, rouquidão, tremores, ou dificuldade de respirar ou engolir, é preciso ficar atento.

Conheça algumas características observadas durante a avaliação médica para determinar se aquele nódulo de tireóide hipoecóico é mais suspeito para câncer:

  • tamanho do nódulo — punção realizada quando o mesmo atinge 1 a 1,5 centímetros de diâmetro;
  • presença de microcalcificações;
  • aumento da vascularização no centro do nódulo (denominado Vascularização central);
  • largura maior na visão longitudinal (ou seja, um formato de um “ovo em pé”);
  • infiltração nos tecidos vizinhos;
  • composição — um nódulo pode ser sólido, misto ou cístico. Sólidos são mais suspeitos;
  • margens mal delimitadas ou irregulares.

Meu nódulo de tireóide hipoecóico precisa ser retirado, e agora?

Tratamentos cirúrgicos são indicados apenas se o seu diagnóstico final é de um nódulo de tireoide maligno ou suspeito, ou nódulos maiores do que 3 – 4 centímetros, estes geralmente associados a sintomas relacionados a compressão local de estruturas vizinhas à tireóide. O tratamento mais utilizados é a cirurgia de remoção.

Realizada apenas em nódulos de tireóide malignos ou suspeitos ou que tem, no mínimo, três centímetros de diâmetro. Também conhecida como tireoidectomia, a cirurgia é relativamente tranquila, com baixos índices de complicação.

Lembrando que não há tratamento com medicação para os nódulos de tireóide, e sim para alteração da função hormonal.

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *